domingo, 30 de maio de 2010

sábado, 29 de maio de 2010

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Orlando Pedroso



Orlando Pedroso é ilustrador da Folha de S. Paulo desde 85.

Vale a pena passear no fotolog dele: http://www.fotolog.com.br/orlandopedroso

obs: descobri o Orlando aravés do blog da Lina: http://naftalina55.blogspot.com/

domingo, 23 de maio de 2010

Embora as duas fotos sejam da Magnum a dica é sobre o programa de treinamento da FSP


New Magnum Photos Feature: Coney Island/Bruce Gilden


Duffy Circus, Ireland 1967 © Bruce Davidson/Magnum Photos



Estão abertas as inscrições para a segunda edição do programa de treinamento em fotojornalismo da Folha de S. Paulo.
As aulas e exercícios serão oferecidos a partir do segundo semestre deste ano. Os escolhidos para realizar o curso, entre oito e doze candidatos, conhecerão o funcionamento do jornal e aprenderão práticas de fotojornalismo em um treinamento com três meses de duração. O curso também abordará conhecimento multimídia como, por exemplo, slide shows e vídeo.
Para participar é necessário preencher a ficha no site www.folha.com.br/treinamento até o dia 13/06.
O processo de seleção se estende até agosto e será dividido em três etapas.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

No II Congreso Feminista Internacional de la República Argentina



Foi montada uma exposição que propõe um passeio pelo universo feminino e da produção/cooperação feminina para o desenvolvimento capiatlista.
A mostra tem como base a seguinte frase de Barthes, no livro A câmara Clara:
a fotografia é subversiva não quando assusta, transtorna ou estigmatiza, mas quando é pensativa.

A exposição reúne fotografias da coleção da curadora Adriana Palomo, arquivos familiares e de colecionadores como Fernando San Martín e Héctor Luis Pezzimenti.

Onde:
Hotel Bauen – Salón Consular (Entrepiso)
Av Callao 360 CA Buenos Aires
Inauguración Miércoles 19 de Mayo de 2010 18 Hs
Jueves 20 y Viernes 21 Mayo de 9 a 20.30 Hs
Sábado 22 Mayo de 9 a 18 Hs

dica para o final de semana




A Mostra de Teatro de Bonecos para Todas as Idades, que acontece desde o início de maio no Teatro Doutor Botica, apresenta nessa sexta, sábado e domingo a Cia. Teatro Filhos da Lua. A companhia, que também é a realizadora do evento, encenará dois espetáculos do seu repertório mais recente: “Ópera de Carvão e Flor” e “Teatro que História É Essa?”. Sendo esse último para o público adulto.
A Cia. Teatro Filhos da Lua sempre traz uma extensa pesquisa em seus trabalhos. O “Ópera” é um espetáculo para o público infantil, mas com uma temática perturbadora: o trabalho infantil. Já o “Teatro Que História É Essa?” conta a história do teatro por meio de dois intelectuais, um tanto decadentes, que vivem na rua em busca de comida para o corpo e para a alma.
Ainda no último final de semana, a Cia. Rasga Teatro fecha o evento com dois espetáculos já conhecidos do público: Chapeuzinho Vermelho, para as crianças, e Javote para os adultos.
A Mostra de Teatro de Bonecos para Todas as Idades, que acontece desde 07 de maio, no Teatro Doutor Botica, já apresentou os trabalhos da Cia. Karagozwk, com a milenar arte do teatro de sombras e Cia. Di Trento com duas emocionantes releituras sobre a vida de Monteiro Lobato e Fernando Pessoa. Vale ressaltar que a Mostra tem como foco principal o fortalecimento do público jovem e adulto junto ao teatro de bonecos.
Siga os acontecimentos da Mostra de Teatro de Bonecos para Todas as Idades no blog: www.teatrodebonecosparatodasasidades.blogspot.com/

Programação:
Cia. Teatro Filhos da Lua
Adulto
21, 22 e 23 de maio às 20h - Teatro Que História É Essa?- A Cia Teatro Filhos da Lua, festejando seus 29 anos de atividades profissionais, faz uma homenagem à arte do teatro, mergulhando em sua história rica, complexa e popular, utilizando bonecos de várias técnicas, figura humana, máscaras e música ao vivo.
Classificação: 16 anos
Gênero: Tragicomédia

Infantil
22 e 23 de maio às 15 e 17h
Ópera de Carvão e Flor (infantil) - Musical que utiliza atores cantores e bonecos de animação direta. Conta a aventura da amizade entre Zé Catulino, menino carvoeiro e Ana Esperança, menina que vende flores. O espetáculo faz uma emocionante reflexão sobre a questão do trabalho infantil.
Classificação: Livre
Gênero: Aventura
Cia Rasga Teatro
Adulto
28, 29 e 30 de maio às 20h – Javote - A irmã malvada de Cinderela, tem uma nova versão para o conto de fadas tão conhecido. Agora o mito da mocinha perfeita é posto à prova e o papel imposto de vilã à protagonista do espetáculo é questionável.
Classificação: 16 anos
Gênero: Drama

Infantil
29 e 30 de maio às 15 e 17h – Chapeuzinho Vermelho - Um clássico em forma moderna no gênero comédia! A trama da menina Chapeuzinho Vermelho e sua aventura ao enfrentar a floresta do lobo. Moderno, afetivo, engraçado, poético e interativo. Este espetáculo vai encantar a garotada.
Classificação: Livre
Gênero: Comédia

quinta-feira, 20 de maio de 2010

um bom motivo para comprar uma saia de chita


Ter ou não ter namorado
(Drummond)
Quem não tem namorado é alguém que tirou férias remuneradas de si mesmo. Namorado é a mais difícil das conquistas. Difícil porque namorado de verdade é muito raro. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia. Paquera, gabira, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão é fácil. Mas namorado mesmo é muito difícil. Namorado não precisa ser o mais bonito, mas ser aquele a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dele a gente treme, sua frio, e quase desmaia pedindo proteção.
A proteção dele não precisa ser parruda ou bandoleira: basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição.
Quem não tem namorado não é quem não tem amor: é quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes, dois paqueras, um envolvimento, dois amantes e um esposo; mesmo assim pode não ter nenhum namorado. Não tem namorado quem não sabe o gosto da chuva, cinema, sessão das duas, medo do pai, sanduíche da padaria ou drible no trabalho.
Não tem namorado quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar lagartixa e quem ama sem alegria.

Não tem namorado quem faz pactos de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade, ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de curar.

Não tem namorado quem não sabe dar o valor de mãos dadas,
de carinho escondido na hora que passa o filme, da flor catada no muro e entregue de repente, de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque, lida bem devagar, de gargalhada quando fala junto ou descobre a meia rasgada, de ânsia enorme de viajar junto para a Escócia, ou mesmo de metrô, bonde, nuvem, cavalo, tapete mágico
ou foguete interplanetário.

Não tem namorado quem não gosta de dormir, fazer sesta abraçado, fazer compra junto. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio amor nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dele;
abobalhados de alegria pela lucidez do amor.

Não tem namorado quem não redescobre a criança e a do amado e vai com ela a parques, fliperamas, beira d’água, show do Milton Nascimento, bosques enluarados, ruas de sonhos ou musical da Metro.

Não tem namorado quem não tem música secreta com ele, quem não dedica livros, quem não recorta artigos, quem não se chateia com o fato de seu bem ser paquerado. Não tem namorado quem ama sem gostar; quem gosta sem curtir; quem curte sem aprofundar. Não tem namorado quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada ou meio-dia do dia de sol em plena praia cheia de rivais.

Não tem namorado quem ama sem se dedicar, quem namora sem brincar, quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele. Não tem namorado quem confunde solidão com ficar sozinho e em paz.
Não tem namorado quem não fala sozinho, não ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo.

Se você não tem namorado porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando 200Kg de grilos e de medos. Ponha a saia mais leve, aquela de chita, e passeie de mãos dadas com o ar. Enfeite-se com margaridas e ternuras e escove a alma com leves fricções de esperança. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesma e descubra o próprio jardim. Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenção de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada.
Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteio.

Se você não tem namorado é porque não enlouqueceu aquele pouquinho necessário para fazer a vida parar e, de repente, parecer que faz sentido.

domingo, 16 de maio de 2010

EXPOSIÇÃO DA WPP NO RIO DE JANEIRO





162 painéis de 1,65m por 1,10 fazem parte da mais importante exposição internacional de fotojornalismo. A 53ª Edição da World Press Photo, acontece no Rio de Janeiro de 18 de maio a 27 de junho. A exposição, que acabou de passar por Amsterdã, é realizada pela Capadócia Produtora Cultural e tem patrocínio da Oi e da Caixa Econômica Federal e apoio cultural do Oi Futuro.

Mais uma vez, a organização teve um número recorde de inscrições. O júri, formado por editores de fotografia, fotógrafos e representantes de agências de notícias, viu 101.960 imagens enviadas por 5.847 fotógrafos de 128 diferentes nacionalidades. O maior número de inscritos veio da China: 586 concorrentes.

Os prêmios foram distribuídos em 10 categorias, divididas em single e série de fotos: Notícias em Geral, Notícias em Destaque, Pessoas em Destaque, Natureza, Retratos, Esporte e Ação, Esportes em Geral, Arte e Entretenimento, Vida Cotidiana e Assuntos Atuais. Foram trabalhos de fotógrafos da Argentina, Canadá, Chile, China, França, Hungria, Israel, Itália, Mali, México, Holanda, Territórios Palestinos, Peru, Somália, Reino Unido, Estados Unidos e outros países.

Este ano, apenas o paulista Daniel Kfouri representa o Brasil. Ele ganhou o terceiro lugar na categoria Esporte e Ação - single com a foto do skatista Bob Burnquist.

Onde: Caixa Cultural RJ (Av. Almirante Barroso, 25 – Centro – Rio de Janeiro - (21) 2544-4080). Terça a sábado, 10h às 22h. Domingo, 10h às 21h. Entrada franca.

sábado, 15 de maio de 2010

porque hoje é sábado


e existe um restaurante chamado "UMA VELHA TINHA UM GATO"

quinta-feira, 13 de maio de 2010

terça-feira, 11 de maio de 2010

o traçado da composição


É importante saber respeitar o desenho dos elementos. Para isso é necessário que o traçado de uma fotografia seja uma proposta, uma fala.
Isso faz parte da magia da composição.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Herois sem armas



Trailer do documetário "Herois sem armas" que apresenta a história dos fotógrafos Pepe Campúa, Alfonso, Luis Marín e José María Díaz Casariego, fotojornalistas que registraram a guerra civil na Espanha. Os quatro trabalhavam na revista "Mundo Gráfico", onde foram batizados como “Os heróis da reportagem fotográfica”.
A descoberta de milhares de fotografias que permaneceram ocultas por conta da repressão franquista, colocam os quatro ao lado dos mais conhecidos fotógrafos da guerra civil da Espanha, como Robert Capa, Gerda Taro e Seymour Chim.

Em casa 16


família em casa
bolo de amendoim
macarronada
pudim dos anjos
risoto de abóbora
...
hoje, frutas para compensar

domingo, 9 de maio de 2010

Diálogo para comemorar o dia das mães

Com saudade dos sabores e cheiros da casa da mãe telefonei pedindo:
– Na próxima vez que vier me ensina a fazer pão?
No dia da aula levantei cedo, repleta de expectativa e me paramentei com o único avental da casa.
– primeiro você separa os ingredientes: ovos, margarina, leite, farinha, sal, açúcar e fermento biológico, – foi explicando minha mãe, com seu tom de anos de magistério para crianças.
– Agora bata os ovos para que não fique com gosto de ovo.
– quantos ovos? Perguntei pragmática e sem entender direito porque ovo não pode ter gosto de ovo.
– depende do tamanho do pão que você quer ter e do tamanho dos ovos.
– hum... E de que tamanho queremos o pão?
– assim. Me mostrou com um gesto das mãos.
– certo, respondi. – quanto de margarina?
– depende do tamanho dos ovos.
– e leite?
– eu ponho a quantidade que eu tenho em casa. Um litro, um pouco menos, ...
– farinha?
– é no olho. Até dar ponto.
– e fermento? É no olho também?
– claro que não! Eu ponho um tablete! Respondeu nervosa.
Depois de pensar um tantinho e em tom confessional acrescenta: – mas como você vai demorar a fazer outro pão vamos colocar mais meio tablete. Tenho pena de jogar fermento no lixo.

Aprendi a fazer? Claro! É fácil. É só saber mensurar o tamanho dos ovos e calcular o diâmetro do pão que quer tirar do forno. Se ficar pesado é culpa do fermento que foi pouco. Se ficar batumado (seja lá o que for isso) é culpa da farinha que foi muito. Se ficar com gosto de ovos é culpa de quem não bateu direito para tirar o gosto. Pronto.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Em casa 15


a tampa da panela e a janela

terça-feira, 4 de maio de 2010

uma nova experiência


roubado de www.adevidacomedia.wordpress.com

sábado, 1 de maio de 2010

Porque hoje é sábado


e eu não estou onde queria estar