sexta-feira, 27 de novembro de 2009

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Pequenas dicas 17



Pequenos detalhes podem fazer a diferença em uma foto.
(na vida também, vá lá)
Ao fazer fotos jornalísticas é importante pensar como o leitor receberá a foto e se haverá elementos suficientes para que ele compreenda não só a informação, mas o contexto.
Ao fazer imagens sobre o cotidiano da vida religiosa fotografei esses dois varais.
A primeira foto não possui referência. Embora seja de um hábito poderia ser de uma roupa qualquer. A referência, nesse caso, precisa ser textual ou de exposição. A roupa será reconhecida como de um monge se houver um texto que acompanhe a foto ou se ela fizer parte de um conjunto de imagens sobre a vida religiosa.
A segunda foto possui um elemento agregador de informação. Embora as roupas estendidas no varal sejam comuns, o quadro em segundo plano é uma referencia religiosa.
Como as duas fotos fazem parte de uma reportagem fotográfica sobre a vida religiosa, elas acabam por ser suficientes em si mesmas.

Para Miguel


Que esse dia, tão teu, seja lindo.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

quem precisa deles?

Foram cinco nesse ano.
O primeiro ficou entre as cadeiras do auditório da UP.
O segundo de tão maravilhosamente pequeno escapou entre meus dedos e se quebrou de encontro ao chão da UP.
O terceiro esqueci na pia do banheiro da UP.
o quarto caiu no vaso sanitário na UP(sim, eu o resgatei)e não quis funcionar mais
O quinto resolveu simplesmente parar de funcionar, lá na UP.
Resumo: estou sem celular.
Moral da história: celular e trabalho não combinam (será isso?)

Preciso de férias

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

sobre cobras e mulheres



Minha prima Ayde fez uma observação sobre a leitura fotográfica que eu adorei e reproduzo abaixo.

"Do caráter das mulheres
Insisto sempre com meus filhos que é possível ter um primeiro e importante indicador do caráter de uma mulher simplesmente fotografando-a. E fotografando-a de modo que ela se saiba fotografada, e que possa, se quiser, compor-se antes do clique: arranjar os cabelos, acertar as sobrancelhas rebeldes, ajeitar a gola, aprumar as costas, essas coisas que nós mulheres fazemos instintivamente na presença de uma câmera. Nada disso importa, na verdade. O que importa é que ela não seja apanhada de surpresa; que saiba, repito, que vai ser fotografada. E se para a foto ela entortar para um lado a cabecinha, fazendo cara de meiga, é melhor sair de fininho, pois se trata de uma jararaca. Só as jararacas fazem cara de meiga para a foto".


Depois de ler, corri para os meus arquivos e encontrei muitas jararacas embora só tenha uma única foto de cobra, a que ilustra este post.

O blog da prima é
http://ninhodealveloas.blogspot.com/


A foto foi feita na praia dos Amores, SC.

sábado, 21 de novembro de 2009

gostaria de estar lá


Exposição de Fernando Veludo sobre a cidade de Belgrado.
Local: Centro Português de Fotografia - Porto
Dia: 24 de novembro

Porque hoje é sábado 4


Feita em um sábado chuvoso, é uma das fotos que ilustra a matéria sobre o treinamento do Bope publicada na Piauí. (ver abaixo)

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Masterclass Bélico



Curitiba não é o Rio, mas um dia vai ser

O título e gravata da matéria do Rafael Urban dão um gostinho do texto muito bem construído, publicado na Revista Piauí - uma das melhores revistas de reportagem do Brasil.
A edição eletrônica pode ser acessada até o dia 30.
Lá, vocês também poderão ver as minhas fotos http://www.revistapiaui.com.br/edicao_38/artigo_1178/Masterclass_belico.aspx

sábado, 14 de novembro de 2009

Porque hoje é sábado 3





Foi num sábado que minha amiga Edu me levou para conhecer o Alto Douro.
A vista que se descortinou para mim, depois de uma pequena caminhada com os olhos vendados, é de uma beleza impressionante.
A região fica ao nordeste de Portugal e é desde 2001 Patrimônio da Humanidade.
Lá se produz vinho há mais de 2000 anos.
As vinhas são plantadas em socalcos, espécies de pequenos planaltos distribuídos ao longo das montanhas.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Série Souvenirs



Foto 33 da série Souvenirs do Fernando de Tacca - Catálogo do Museo Travesti del Peru com segura-porta "Menina e o Sapato", de Geraldo de Barros (Coleção Sesc de Obras Brasileiras) sobre guarda-chuva colorido.

O importante no retrato não é a expressão, mas o silêncio






Essa frase do Bresson me acompanha sempre que vou fazer retratos - uma das categorias que mais gosto.
Fico pensando: será esse o momento do silêncio revelador?
Inquieta e perdida em meus pensamentos sobre o fotografado e sua história, espero o momento certo.
Por conta disso, um retrato que não possui nenhuma dificuldade técnica e poderia ser feito em menos de um segundo leva vários minutos. Finjo que arrumo foco, que ajeito a câmera. Sempre a esperar.
E então o silêncio surge de repente, um instante no qual uma vida toda passa pelos olhos do modelo, um lampejo no qual se vislumbram sonhos.
Foi assim com essas fotos.
Dia de desfile de carnaval em Curitiba. Chovia. Eu estava com muita preguiça de sair de casa, mas comprometida com um grupo de fotógrafos e um projeto de documentar o carnaval curitibano, lá fui eu. A chuva forte obrigou os carnavalescos e todos os malucos que estavam por lá a se abrigarem sob a marquise do palácio do governo. Das conversas com os integrantes do grupo de catadores reservo esses como os meus retratos preferidos.
A primeira foto surgiu como um pedido sem fala. Apontei a câmera e esperei. Dois, três minutos e então a pose, o vento e o silêncio, registrados em 125 avos de segundo.
A máscara um pouco caída captura minha atenção na segunda foto, junto com a vida parece jorrar dos olhos da modelo.
O olhar da terceira foto é repleto de mistério.
E o da quarta é uma indagação.
Qual a impressão de vocês sobre esses retratos?
Qual deles é o melhor?

quinta-feira, 12 de novembro de 2009


Tudo que há para saber do amor é deslumbrada aceitação. Não se aprende a amar, Camila; não há vontade democrática capaz de espalhar a paixão pelas bolsas de pobreza onde ela não chega, nem fábricas capazes de a produzir em peças para montagem, construção ou exportação. Não há nada de justo nesse sentimento: a justiça, aliás, não passa de um espetáculo de ordenação do mundo, um circo que inventamos para substituir a irracional lei do coração.

trecho do livro "nas tuas mãos" de Inês Pedrosa

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Prefiro pontes a muros

Pequenas dicas 16


Enquadrar e esperar.
Há certos locais que são perfeitos para determinadas fotos desde que esperemos o acontcimento certo. Nesse caso eu estava fazendo um material sobre um passeio de bicicletas. Quando vi o cenário achei perfeito: casa, chão de terra, araucária. Me posicionei, enquadrei, fotometrei e esperei.

sábado, 7 de novembro de 2009

Porque hoje é sábado 2


Um sábado, para ser perfeito, tem que ter farturas.
Farturas é um quitute português parecido com os churros recheados.
A massa é tão leve que se desmancha suavemente na boca e vai se misturando com o açúcar que se derrete... hummm

Que esse sábado seja, para todos nós, de fartura e de todas as delícias.
A foto foi feita em um sábado perfeito do verão portuense.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

tem tudo a ver



O Requião fala uma grande bobagem (não que seja o único ou o primeiro episódio) e O Globo replica isso.
Às vezes acho que a Daniela (a do post abaixo) tem razão: tem tudo a ver com ser modelo.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Para Claude Lévi-Strauss


Procurei entre minhas fotos uma que ilustrasse o quanto gosto do trabalho do Claude Lévi-Strauss, que morreu no sábado passado.
Escolhi essa feita no Mosteiro da Ressurreição, em Ponta Grossa. Os pilares que partem da mesma base e sustentam o mesmo teto são absolutamente diferentes uns dos outros e representam, para mim, a sustentabilidade das relações cotidianas.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

ai ai ai

Finalistas do Prêmio Esso 2009




Daniel Marenco, com o conjunto de fotos NO CORREDOR DO INFERNO (acima), publicado no jornal ZERO HORA
Marcelo Carnaval, com a foto CRISE, QUE CRISE?, publicada no jornal O GLOBO.
Moacyr Lopes Junior, com a foto A DOR DA PERDA, publicada no jornal FOLHA DE S. PAULO.
Arnaldo Carvalho, com a foto FOME, do conjunto EXILADOS NA FOME, publicado no JORNAL DO COMMERCIO (Recife).
Daniel Mobilia, com a foto FALA QUE EU NÃO TE ESCUTO, publicada no jornal DIÁRIO DE S. PAULO.

Tudo que há para saber do amor é deslumbrada aceitação. Não se aprende a amar, Camila; não há vontade democrática capaz de espalhar a paixão pelas bolsas de pobreza onde ela não chega, nem fábricas capazes de a produzir em peças para montagem, construção ou exportação. Não há nada de justo nesse sentimento: a justiça, aliás, não passa de um espetáculo de ordenação do mundo, um circo que inventamos para substituir a irracional lei do coração.

trecho do livro "nas tuas mãos" de Inês pedrosa
Manuela Ghizzoni


Gislaine


Sindy


Lais


Jessica Santos