sábado, 3 de dezembro de 2011

Porque hoje é sábado

e eu estou em clima de Natal.


Neste ano a minha árvore está sendo enfeitada com bolas de Natal feitas por minha irmã, Vera.
É uma homenagem muito simples perto dos sentimentos de vazio e impotência que me afetam quando penso nela.
Quero crer que ela está ajudando meu pai a enfeitar a árvore lá do céu (meu pai sempre amou esta época)
Já seria por estes dias que ele telefonaria e diria: então "bicho" (coisas de "paz e amor") o que vamos fazer para o Natal? Embora todos os anos o cardápio fosse o mesmíssimo, ficaríamos falando de vários tipos de comida e eu pegaria um papel para escrever o cardápio.
No último ano que fizemos este ritual "logrei" o velhinho. Peguei o cardápio do ano anterior e só li a lista a que ele me respondeu: - perfeito! Mas lembre que o leitão tem que ser pururuca!
A Vera era a minha "ajudante decorativa" da mesa da ceia e dos pratos. Neste ano, prevendo a trabalheira tentei treinar a outra irmã, mas ela se diz tão sem jeito que prefere lavar a louça.
Minha mãe, sempre solidária, se candidatou. Ficou tudo ótimo. Agora o problema será arranjar uma ajudante de cozinha que a substitua.
Pensei em mudar o cardápio.
Fiz planos, pensei em vários pratos e decidi que este ano teremos:
arroz branco
arroz à grega
salada mista
salada waldorf
strogonof de camarão
frutas
fio de ovos
lombo recheado
e leitão - bem pururuca

exatamente como todos os anos anteriores.