domingo, 31 de outubro de 2010

ontem foi sábado


e essa foto foi tirada na sexta
coisas do tempo...

sábado, 30 de outubro de 2010

stand by me

Stand by Me from theRedPillRadio on Vimeo.



A música dispensa apresentação. Porém a maneira como foi instrumentalizada é linda. Pessoas que não se conhecem (três deles artistas de rua) cantam juntos. O trabalho foi feito por técnicos de som e imagem voluntários, que se ocuparam de captar o som de cada um dos "cantores", individual e mundialmente.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

sábado, 23 de outubro de 2010

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Sussurros 13

começa hoje


amanhã eu tentarei passar por lá
é imperdível

Fotografar cidades 4



Como fazer fotos de cidades diferente daquelas de catálogos? Já falei em posts anteriores sobre a importância da escolha do ângulo. Hoje falo sobre pequenos detalhes que podem dar um ar de graça nas fotografias.
Estas duas fotos foram feitas em Madri de cima daqueles ônibus para turistas. Aproveitei o vidro para fazer uma moldura para a cidade cosmopolita e organizada pela qual me encantei.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

terça-feira, 19 de outubro de 2010


"Palavras são pássaros.
Voaram!
Não nos pertencem mais."
Helena Kolody

Sussurros 10

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Ponteiradiantar


Adiantar o ponteiro em uma hora. O pequeno ato causa tantas confusões em minha terrinha de dentro que resolvi verbalizar: ponteiradiantar.
Verbo que serve bem a tantas coisinhas miúdas da vida.
Ponteiradianto todos os dias o lanche das 10. Tenho fome antes. E lá se vai o diário alimentar bem regido pela ladainha: de três em três horas. Tudo fica ponteiradiantado porque uma bolachinha puxa o bife que puxa a fruta e a sobremesa. A sopa da janta chega ao meio da tarde e o lanche da madrugada vira ceia ponteiradiantada e, então, preciso inventar palavrinha doce que dialogue de manso com o suco ou o iogurte da hora que já passou.
Ponteiradianto o fim da reunião chata rabiscando em meu caderno de desenhos circulinhos, em sentido horário, claro.
Ponteiradianto certas leituras, saltando virgulas e comendo linhas.
E quando chega o dia de pagar as contas. Ah! Esse, de tanto ponteriadiantar salto logo, para logo ter mais um tantinho para gastar.
Só não consigo ponteiradiantar a morte da saudade. O laço da distância não tem corda suficiente para ao coração de longe esse coração daqui se aconchegar.

sábado, 2 de outubro de 2010